quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Crime no Expresso do Oriente - Agatha Christie


Pouco depois da meia-noite um nevão imobiliza o Expresso do Oriente que, para aquela época do ano, estava surpreendentemente cheio de passageiros. De manhã, encontram um homem de negócios americano que havia sido apunhalado até à morte no seu compartimento. Existem muitas pistas e muitos suspeitos: os passageiros da carruagem. Para ajudar às investigações, o morto é reconhecido como sendo o autor de um dos crimes mais hediondos do século. Com a tensão a aumentar perigosamente, Poirot resolve o caso... de uma maneira surpreendente!
__________________________________________________________________

Este é o segundo livro que leio da Agatha Christie, sendo que o primeiro foi "Morte no Nilo", no âmbito de uma leitura conjunta do Fórum Estante de Livros.
Li-o de rajada, tal nos prende a leitura e nos faz querer saber mais e mais, quer sobre o assassínio quer sobre todas as outras personagens.
A história é passada a bordo no comboio mais famoso da história :-) no Expresso do Oriente, uma viagem mítica, e que julgo ser fascinante.
A viagem decorre numa altura do ano em que não costuma haver muito passageiros, no entanto esta é uma viagem especial, visto haver um número bastante considerável de passageiros. No entanto, o que há partida poderia ser mais uma viagem do Expresso do Oriente, rapidamente se torna uma viagem diferente. Logo no início Poirot vê-se "forçado" a embarcar no comboio, visto a sua presença ser solicitada em Londres, e não é fácil arranjar um quarto para si a bordo do comboio. Entretanto, a meio da noite o comboio pára devido a uma tempestade de neve e na manhã seguinte descobrem que um dos passageiros foi assassinado - Ratchett.
Poirot vê-se assim a braços com uma investigação, em que todos os passageiros passam a ser considerados suspeitos.
O livro divide-se em três partes: a apresentação das personagens e do crime; os depoimentos dos suspeitos; e a descoberta de Poirot.
Os depoimentos dão-nos todas as pistas necessárias para podermos resolver o enigma, e ir-mos pensando "afinal quem é o assassino?". No entanto, devo dizer que sou fraca detective, pois não consegui imaginar o desfecho do livro, que não é nada mais nada menos do que verdadeiramente surpreendente. Também a forma como a escritora conseguiu ligar todas as personagens entre si, é fantástico.
Em resumo, adorei o livro!

3 comentários: