sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A Chave Maldita - James Rollins

Universidade de Princeton. Um geneticista famoso morre num laboratório biológico de alta segurança. Em Roma, um arqueólogo do Vaticano é encontrado morto na Basílica de São Pedro. Em África, o filho de um senador americano é morto num acampamento da Cruz Vermelha. Três assassinatos em três continentes têm uma ligação terrível: todas as vítimas estão marcadas por uma cruz pagã druida, queimada na sua carne.
Os bizarros assassinatos conduzem o comandante Gray Pierce e a Força Sigma numa corrida contra o tempo para resolver um enigma que remonta a muitos séculos atrás, a um crime medonho contra a humanidade escondido num códice críptico medieval. A primeira peça do puzzle é descoberta num cadáver mumificado, enterrado num pântano inglês, um segredo horrível que ameaça a América e o mundo.
Ajudado por duas mulheres de seu passado - uma, a sua ex-amante, a outra, a sua nova parceira - Gray tem de reunir todas as peças de uma terrível verdade. Mas as revelações têm um custo elevado e, para salvar o futuro, Pierce terá que sacrificar uma das mulheres ao seu lado. Isso por si só pode não ser suficiente, à medida que o verdadeiro caminho para a salvação vai sendo revelado numa sombria profecia da maldição.
A Força Sigma enfrenta a maior ameaça que a Humanidade já conheceu, numa aventura que vai desde o Coliseu romano aos picos gelados da Noruega, a partir das ruínas de mosteiros medievais aos túmulos perdidos de reis Celtas. O último dos pesadelos é trancado dentro de um talismã enterrado por um santo morto - um artefacto antigo conhecido como a chave do Juízo Final. 
__________________________________________________________
Tendo lido os outros livros anteriores e sendo fã, tinha este livro na minha lista a comprar, assim que foi publicado.
A fórmula é a mesma que James Rollins nos habituou, uma história com muita acção, mistério, misturada com elementos históricos e tecnológicos. O ritmo é quase alucinante, pois num curto espaço temporal, os protagonistas são confrontados com uma série de situações perigosas e com um mistério que têm que desvendar.
Um livro que tem todos os ingredientes para me agradar, não me conseguiu fazer sentir parte da história, nem proporcionar o prazer que deveria. Acredito que se possa dever ao meu estado de espírito e não à qualidade do livro, pois enquanto o lia, não me consegui concentrar na leitura e dava por mim a pensar em noutras coisas.

2 comentários:

  1. Chegou o livro mais polêmico e revelador dos últimos tempos!
    = O POMO DE OURO =
    Sinopse: Henrique foi instruído nos mistérios da Maçonaria desde criança e tornou-se um bom Mestre Maçom. Entretanto, por ocasião dos atentados ao World Trade Center, no dia 11 de setembro de 2001, Henrique descobriu coisas tão perturbadoras que fizeram ele se afastar da Maçonaria e isolar-se do mundo, até que sua amiga Eva Cristina foi procurá-lo para ajudá-la a decifrar um código que o pai dela havia deixado numa carta antes de falecer em suas explorações arqueológicas. A partir daí, Henrique se vê obrigado a usar de seus conhecimentos secretos da Maçonaria para ajudar Eva a encontrar e devolver a quem de direito um objeto do qual depende o futuro da humanidade: o pomo de ouro.

    Com uma narrativa dinâmica e envolvente para uma trama repleta de mistério, aventura e reviravoltas, o leitor é apresentado a uma série de contradições envolvendo os atentados de 11 de setembro, se torna conhecedor das mentiras da Igreja Católica e dos mais finos mistérios da Maçonaria, além da interpretação contundente de um conjunto de profecias que parece estar se concretizando a todo o momento em nosso tempo.

    É a leitura mais intrigante, misteriosa e polêmica dos últimos tempos. Um livro único e imperdível!

    LEIA 20 CAPÍTULOS DO LIVRO GRATUITAMENTE NO BLOG:
    http://opomodeouro1.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Eu já li há algum tempo, e não me lembro bem, mas sei que para não variar gostei bastante do Chave Maldita.... talvez o teu "problema" tenham sido mesmo factores externos =(

    ...o que me incomoda MESMO é pensar que James Rolins pode não voltar a ser publicado entre nós, se nenhuma editora pegar nele, depois da "falecida" Difel =(

    ResponderEliminar