terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Let It Snow: Maureen Johnson, John Green, Lauren Myracle

Let it Snow: Three Holiday RomancesLet it Snow: Three Holiday Romances by John Green
My rating: 2 of 5 stars

Opinião Geral
Confesso que tinha algumas expectativas para este livro, principalmente porque seria o meu primeiro contacto com John Green.
Neste pequeno livro, temos três autores (não conhecia a escrita de nenhum) em que cada um escreveu um conto, passado na mesma cidade e que se vão complementando, durante a época natalícia.
Quem me conhece sabe que adoro o Natal e como tal estava muito entusiasmada por me iniciar em leituras natalícias mas este livro foi o chamado "tiro ao lado".
Três histórias muito irreais, forçadas e nos dois últimos contos muito engonhanço. Já para não falar que não achei que seriam histórias muito natalícias e que talvez seriam um pouquinho mais credíveis que se tivessem passado noutra altura, talvez até durante a passagem de ano.
Quanto à escrita, esta é bastante acessível e simples, o que que achei mais divertido foi mesmo o conto da Maureen Johnson. E John Green, para o qual tinha muitas expectativas, foi a desilusão, com uma história muito previsível e chata, sendo que nem achei que tinha o tom cómico que muita gente comenta.
Sabia à partida, que sendo um YA, dificilmente seria uma leitura que me iria arrebatar mas nunca pensei que fossem umas histórias tão chatinhas e irreais (já tinha dito que eram irreais?)!

Vou também falar sobre os três contos, aproveitando as opiniões que escrevi para a leitura conjunta natalícia.
Atenção que a opinião dos contos contem spoilers!

The Jubilee Express de Maureen Johnson
Achei o ponto de partida deste conto um bocado parvinho e irreal, afinal de contas Jubille é mandada, sozinha, de comboio, para casa dos avós, a várias horas de distância, durante uma das piores tempestades de neve, porque os pais estão impedidos de passar o Natal em casa (Isto de terem sido presos por causa de uma "bonecada" também não me pareceu muito credível)... isto tudo durante a véspera de Natal.
Ok, percebo que os pais não quereriam que Jubille passasse o Natal sozinha, mas não haveria nenhum amigo a quem recorrer? E também estamos já a falar de uma adolescente e não de uma criança que não pudesse ficar sozinha.
Mas adiante...
Depois temos o comboio retido devido à neve em Gracetown (nada que não se tivesse à espera com uma tempestade daquelas), mas a Jubille abandona o comboio, por causa de um grupo decheerleaders, e vai para uma Waffle House, mas as "melgas" acabam por aparecer por lá, e Jubille acaba por ir para casa de um rapaz que acabou de conhecer. Achei isto ainda mais irreal do que o ponto antigo. Uma adolescente, numa cidadezinha que não conhece, aceita ir para casa de um outro adolescente, que não conhece de lado nenhum, assim sem mais nem menos?? Mega parvoíce! Eu sei, que é a tentativa de um romance fofinho mas não achei nada boa ideia, andar a incentivar as jovens a irem com desconhecidos :/ Foi só a mim que me fez impressão?

Se ignorar os aspectos acima mencionados, a história até vai tendo algumas partes divertidas como também é interessante perceber o quanto o Noah é um grande palerma. E apesar da Jubille ser a protagonista e a narradora desta história, acabei por gostar mais do Stuart e da sua mãe, a típica mãe-galinha mas muito amorosa.
No entanto, esta é uma história que se poderia passar em qualquer outra altura com uma valente tempestade de neve e não restrita ao Natal, pois esperava ter mais referências à época em questão. Mas acaba por ser um romance fofinho.
Quanto à escrita, e tendo em conta que li em inglês, esta é bastante acessível e directa.
Apesar de todos os aspectos, acabou por ser uma leitura divertida e uma boa maneira de passar o tempo, e se atribuísse uma classificação individual, daria 3 estrelas.

Cheertastic Christmas Miracle de John Green
Se tinha achado a premissa do primeiro conto muito irreal, este ainda me pareceu pior. Temos 3 adolescentes, dois rapazes e uma rapariga, que se encontram em casa de um deles, sozinhos, na noite de Natal a ver filmes do James Bond. Eu até posso perceber que um deles, tenha os pais ausentes, desta vez por causa de uma conferência médica, mas e os pais dos amigos?? Será habitual nos EUA os adolescentes passarem a noite de Natal sozinhos? Eu acho estranho.
Para além deste aspecto, o trio decide pegar no carro e ir até à Waffle House, por causa das cheerleaders, isto porque o amigo lhes telefonou. E é óbvio que a "viagem" até à Waffle House não vai correr bem, ou pelo menos para mim foi, pois quem no seu perfeito juízo sai com um carro durante a maior tempestade de neve??
Também achei o romance muito previsível, apesar deste só ocorrer na parte final, mas logo quando a The Duke começa a "mandar algumas bocas" ao nosso narrador (que não me recordo do nome) que suspeitei que seria mais do que uma amizade.
Quanto à escrita, continua a ser acessível mas, para mim, pouco divertida e achei que a história se foi arrastando e arrastando e nada de desenvolver. Além disso, achei que se criou alguma expectativa sobre o que se passava na Waffle House mas praticamente não temos cenas lá.
Uma vez mais, senti que apesar de ser um conto que se passa durante a noite de Natal, poderia ser passado noutra altura qualquer.
Confesso que sentia muita curiosidade em conhecer John Green mas este conto não me impressionou e daria apenas 2 estrelas.

The Patron Saint of Pigs de Lauren Myracle
Nem sei bem como começar por este conto!
A nossa protagonista é, de todos os três contos, a mais egocêntrica, com todos os seus dramas, delegando para segundo plano os outros que a rodeiam. Mesmo quando outras personagens lhe chamam a atenção de tal "aspecto", incluindo uma das suas melhores amigas, continua a achar que ela é uma "boa pessoa e nada drama-queen".
Para além disso, traiu o namorado e acha que as coisas devem ser feitas à sua maneira porque ela "o ama muito"! A sério, miúda, deixa de ser tão focada em ti e dá um pouco de tempo e espaço ao rapaz. Não és só tu que estás a sofrer! Ele está bem pior do que tu!
É certo que a autora fez um bom trabalho de tornar a personagem real, pois ao fim e ao cabo, conseguiu que eu não gostasse dela, mesmo quando ela finalmente percebe que tem que fazer algo por outra personagem, mas ainda assim, achei que esta alteração de personalidade ocorreu muito rapidamente (para quem é tão egocêntrica).
Mesmo o final, pareceu-me rosinha demais para esta miúda. (Eu já disse que não gosto dela??)
O conto valeu pelas outras personagens que foram aparecendo e pelo teacup pig que eu não sabia que existiam!


Vou considerar este livro nos seguintes desafios (além do Reading Challenge):
Ler em Inglês

6 comentários:

  1. Gostei muito da opinião. Só li a geral. Porque talvez ainda vá ler o livro. Já o tinha visto pois ainda está para acontecer o meu primeiro contacto com a escrita de John Green, de quem parece que se fala, escreve, tanto por agora. Vamos lá ver, acho que estou cada vez mais curiosa. =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que gostes mais do livro e de John Green do que eu. Tinha muitas expectativas, principalmente por ouvir falar tanto do Green mas não correspondeu :/
      Depois gostava de saber a tua opinião =)

      Eliminar
  2. Olá tita,
    Pois...também dei a mesma pontuação. Mas valeu a pena pela experiência :)

    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Isa, valeu mesmo pela experiência =)
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Olá,
    Gostei da tua sinceridade e por fazeres um resumo bastante descritivo. Por vezes só dizem se gostaram, ou não do livro e pouco mais.
    Este era um dos livros que eu tinha curiosidade em ler mas já não vai ser este ano.

    Bjos
    Tânia G.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tânia,
      Realmente esta opinião ficou um pouquinho mais grandinha pois aproveitei os textos que escrevi durante a leitura conjunta, mas fico contente por teres gostado =)
      Espero que gostes mais do livro do que eu ;)
      Bjs

      Eliminar